WEB SUMMIT – O que é isso mesmo?

pilulas-do-varejo A Pílula do Varejo desta semana é uma contribuição do nosso diretor Igor Paparoto, presidente do Comitê de TI da Abiesv e CEO da PM Varejo, sobre a sua experiência no Web Summit, realizado entre 06 e 09 de novembro, em Portugal. Segundo a organização do evento, esta segunda edição reuniu 59.115 pessoas de 170 países.

 

WEB SUMMIT

O que é isso mesmo?

Ainda reverbera o evento de tecnologia mais hype da atualidade.

Muita gente tentando entender qual(ais) o(s) impacto(s) que algo assim causa no antes, durante e, especialmente no depois.

O antes… é um enorme frisson.

O durante… maior ainda! Mistura de Disneyland, com EATALY e Red Light District… com show do Ed Sheeran.

E o depois?

Justiça seja feita. O evento é realmente algo. A parte física do pavilhão sofreu um bocado para dar conta da enxurrada de quase 60.000 indivíduos ao mesmo tempo. A experiência beirou a perfeição.

É muita coisa interessante para se ver em muito pouco tempo… o “gosto de quero mais” fica evidente.

As startups são divididas em blocos:

Início, igual a Alpha.

Já tens algo a mostrar? És Beta.

Mais um pouco? És Start.

A sensação é que haviam muitas (muitas mesmo), Medtechs, Martechs e  Fintechs.

Bastante E-commerce. Varejo físico? POUCAS. Talvez um oceano azul aí.

Fashion e Life style, com menor oferta.

Divisões à parte, as Alpha, são muitas e ficam um só dia na vitrine. Amanhã tem outra em seu lugar.

Cria a sensação de escassez das araras da Zara. Vestido básico preto? Grade de 5.

Pegue agora, ou fique sem.

Se foi pensado assim? Não sei. Mas é genial.

E os palcos de pitchs? Sete minutos na escada para o céu!

Vi rapazes de 16 anos vendendo ideias e também rapazes de mais de 60.

 Isso é que é democracia. Os dois grupos com mesmo pique!

 Como andarilho tech fui e voltei várias vezes para tentar não perder nada.

 Doce ilusão. Perdi muito. Ganhei muito.

 Planejei minhas visitas, mas encontrei tanta coisa boa no caminho!

 Tem palestra? Tem!!! Vale a pena? Vai de cada um.

 Interessante é que tema tecnológico não é a prioridade.

 Eu prefiro gastar meu inglês e português, com chineses, escandinavos, espanhóis, gregos, portugueses, angolanos, brasileiros, italianos, americanos… e toda incrível aldeia que se formou aqui.

 Na minha visão, aqui está toda a riqueza, o barato… THE real thing.

 A beleza da diversidade de idéias, approachs, maneiras de colocar e executar, do bicho humano, fica exposta.

 Fui a um almoço com um bom amigo português. Sujeito acima da media.

 Pergunto: O que é o Web Summit?

“Web Summit”, disse-me ele, “é a estrada pavimentada, para o belo carro em que se está transformando Portugal. Nos últimos 3 anos, muita coisa acontecendo aqui.”

 Mais um caminho para mostrarmos algo ao mundo.

 Algo que pretendo abordar em outro artigo.

 More to come?

 Espero que sim. Torço para que sim. Trabalho para que sim.

 De resto, a sugestão. Venha em 2018. Não perca. É brutal!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *